Retrospectiva 2016


A um ano atrás eu tinha a minha frente um oceano infinito de Blogs.

Há espaço para mais um blog? Como fazer diferença? Como ser notado nesse oceano que cresce exponencialmente todos os dias?

Unsplash image

A apenas 1 ano atrás…

Mais um ano se foi, mas para esse blog foi apenas o primeiro ano de vida.

Nas minhas Férias em 2015 tive a ideia de criar um blog para escrever sobre desenvolvimento de software com foco na linguagem Object Pascal.

Quando escrevia o primeiro artigo eu quase desisti.

Pensei: — Mais um blog fará diferença dentre muitos outros?

Eu não sabia se faria diferença, mas sentia que deveria escrever um pouco sobre minha experiência, meu dia-a-dia e sobre a Orientação a Objetos verdadeiramente aplicada.

Os assuntos que eu queria escrever eu não encontrava em nenhum outro blog em Português, então, por quê não?

Não desisti.

Aqui estamos. Ano 2017. Total de 50 artigos. Agora, 51 artigos.

Minha meta era escrever 1 artigo semanalmente, durante 1 ano, sem se importar se alguém estaria lendo. Sem se importar se alguém estaria se identificando com as ideias. Sem se importar se faria diferença… apenas escrever e ver os resultados após um ano.

Falar sobre Object Pascal, uma linguagem “morta”?

O fato é que fez diferença… e continua fazendo.

As inscrições para fazer parte da minha Lista VIP cresce a cada dia.

Incrivelmente há também um aumento no número de inscritos que, em muitos casos, não desenvolvem em Object Pascal mas estão conosco para fazer parte desse mindset sobre Orientação a Objetos.

O sucesso do blog superou todas as minhas expectativas.

Melhores Artigos

Selecionei os melhores artigos de 2016. Não houve uma ciência para escolher esses artigos. Apenas selecionei os 10 mais relevantes pra mim ou para os leitores baseados no feedback e comentários.

  1. Interfaces e o Método estático New É sem dúvida um artigo que eu adoro porque essa “técnica” mudou a maneira que eu trabalho com Object Pascal e Interfaces.
  2. Interfaces em Todo Lugar Mostra que com a utilização do Método New é possível utilizar Interfaces em todo o código, sem problemas com vazamentos de memória.
  3. Objetos devem representar Entidades reais Diz que cada Objeto deverá representar uma Entidade num determinado momento para um determinado Contexto. Sempre tenham em mente a dupla Entidade e Contexto, quando estiverem programando Orientado a Objetos.
  4. Classes devem Implementar apenas uma Responsabilidade É uma regra que todos conhecem mas quase ninguém respeita. Porque é difícil. Mas é difícil quando utilizamos o pensamento Procedural para (tentar) codificar um Objeto. Não pense nos procedimentos, pense no comportamento do Objeto apenas para um Contexto específico e essa regra ficará mais fácil de ser cumprida.
  5. Objetos pensam e tomam decisões É um conceito difícil para quem ainda não entendeu, realmente, a programação Orientada a Objetos. No modelo Procedural você tem um Controlador (você); no Modelo Orientado a Objetos, há apenas Objetos que sabem o que fazer.
  6. Validações no Construtor É um conceito que eu conhecia, mas não seguia. Mas ele faz todo o sentido. Você não deve validar (todo) o Objeto no construtor. Se existisse um mundo onde todos os Objetos fossem validados antes de serem criados, então seria um mundo perfeito com Objetos perfeitos. E perfeição não existe. Dê um voto de confiança aos seus Objetos e deixe-os tentar executar o trabalho.
  7. Herança pode ser o Mal da Orientação a Objetos Foi uma série de 5 artigos. Uma série provocativa que gerou dúvidas, argumentações, mas também admiração e sintonia com outros leitores que pensam da mesma forma.
  8. Classe de Dados Pode ser uma ideia controversa quando pensamos em Objetos. Será? Quando leio sobre Orientação a Objetos em outros blogs, livros ou publicações, fica claro que os autores dizem ser errado o pensamento procedural, o pensamento em dados. Mas eles não explicam como utilizamos dados puros dentro de um código Orientado a Objetos. Essa é a maneira que eu utilizo nos meus sistemas.
  9. Procedural é fácil, Orientado a Objetos é difícil É um artigo simples, de 2 minutos de leitura, que foi escrito em menos de 30 minutos… e mesmo assim teve uma ótima repercussão para os leitores. Incrível.
  10. Diga-me algo Sobre você É uma ideia pessoal, mas baseada no conceito que um Objeto deve ser auto-suficiente para descrever a si mesmo, sem quebra de encapsulamento, sem Getters, sem ser um “balde de dados”.

E sobre o Futuro…

Os artigos continuarão a serem publicados semanalmente, mas vou expandir. Haverá também vídeos no meu novo Canal do YouTube que irão falar sobre os artigos do blog, desenvolvimento de software e, claro, Orientação a Objetos.

Está sendo uma experiência única compartilhar ideias que somente eu e poucas pessoas que trabalham comigo tinham acesso.

Agradeço sua leitura, seus comentários e os e-mails de incentivo.

Obrigado e FELIZ 2017!

Até logo.

Posts Relacionados

  • Mais Performance usando Argumentos "const" para Interfaces

  • Herança de Formulário é para Iniciantes

  • Eliminando Métodos Privados

  • Classes Aninhadas

  • API Unit: Tudo num só lugar

  • Injeção de Dependência sem XML, Atributos/Anotações ou Frameworks

  • Nomeando Classes em Libraries

  • Versionando e Organizando seus Pacotes

  • Xavier Package

  • Inter-process Communication